"SENHOR, não é soberbo o meu coração, nem altivo o meu olhar; não ando à procura de grandes coisas, nem de coisas maravilhosas demais para mim. Pelo contrário, fiz calar e sossegar a minha alma; como a criança desmamada se aquieta nos braços de sua mãe, como essa criança é a minha alma para comigo. Espera, ó Israel, no SENHOR, desde agora e para sempre.(Sl 131)

Outros Posts

segunda-feira, 6 de junho de 2011

O jovem cristão e a influência do mundo - II



Como na noite anterior observamos, o texto lido inicia com uma conjunção "portanto", que garante que estamos concluindo argumentações anteriores.

Daremos atenção necessária ao nosso texto, mas de pronto podemos antecipar que ele encerra com a exortação que devemos procurar saber qual a vontade de Deus. Isto trataremos no momento oportuno.
Ao texto:
Portanto, vede diligentemente como andais, não como néscios, mas como sábios, usando bem cada oportunidade, porquanto os dias são maus. Por isso, não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor. (Ef 5:1517)

As palavras do v. 15. informam-nos que devemos dar grande atenção, avaliar detalhadamente como andamos, vigília permanente ao nosso comportamento. 

O Senhor oferece-nos a objetividade necessária, lemos (2.10) que devemos andar segundo obras definidas por Deus; (4.1) andar de forma digna ao propósito de Deus para nossas vidas, e por fim diz (4.17) Não na vaidade dos pensamentos dos gentios. Em algumas traduções fala na verdade de suas mentes (dos gentios). Temos obras definidas por Deus eternamente, e para elas fomos chamados e por fim evitar as sendas do raciocínio que outrora nos conduziu, pensamentos que não são os pensamentos do Santo, que levam a caminhos de morte. Eis aqui, temos diante de nós para onde conduzem as influências do mundo.

O texto mais diz: para não sermos néscios. Para não sermos embotados, os tolos operacionais.  Aqueles que muito opinam sobre aquilo que não conhecem. Aqueles que muito agem sem saber qual a vontade do Senhor, e mais, julgam-se baluartes das Escrituras. Foram cooptados pelas influências deste mundo “de sábios de si para si”.

Pelo contrário, somos exortado para agirmos com sabedoria (Cl 4.5):
“portai-vos (andai) com sabedoria com os de fora aproveitando as oportunidades”. 
Sabedoria de palavras, de conduta, de sobriedade, de amizades. Como afirmarmos  venceremos no mundo dos gentios, se nossas amizades são compostas de gentios, se nossos hábitos são dos gentios, se nossos sentimentos e prazeres são de gentios. Nenhuma  oportunidades há para esses que são totalmente gentios, mas em sua bravata pessoal afirma-se cidadão dos céus. Nada desses se aproveitará. A bravata é arma dos ímpios. 

O texto prossegue com “os dias são maus”, que posemos ler: as circunstâncias em estamos envolvidos são adversas à nossa disposição interior, à verdade que ousamos e proclamamos. Não há simpatia ao evangelho autêntico, não há simpatia para com a ética cristã. Se somos tidos como simpáticos quando expomos as verdades do Senhor, com certeza estamos falseando-a. 
Fomos (nossa mente) conquistados pelo mundo, cedemos às influências desse poderoso movimento de idéias e “poderes” da secularidade.

O uso do termo “não seja insensato” traz a idéia de destituído de raciocínio, e logo após afirma: “esforça-te para pegar a idéia, dedica-te” para saber qual é a vontade do Senhor.
De um lado a insensatez de outro a disposição para conhecermos a vontade do Senhor.

Sim! Qual é a vontade do Senhor para cada um de nós nesta noite? Ou seremos tolos para prosseguir na vontade de nossos próprios pensamentos?
É o que veremos a seguir.

3 comentários:

  1. obrigado pastor seus ensinos flui bons aprendizados ,dou graças ao senhor meu Deus lembrando me sempre de te fil;1,4

    ResponderExcluir
  2. Glórias sejam dadas a Deus pela sua vida Pastor Paulo, sempre com ensinamentos autênticos e edificantes...Que Deus continue usando o Senhor para a proclamação do Evangelho de Cristo nosso Senhor, a Fiel Testemunha.

    ResponderExcluir

1. Seus comentários são bem vindos.
2. Por favor, faça-os sempre com base nas Escrituras, caso contrário, nenhum valor terão.
3. Não há moderadores, seu temor ao Senhor é um.

Tomo as ofensas pessoais como incapacidade de refutação.

Em Cristo.