"SENHOR, não é soberbo o meu coração, nem altivo o meu olhar; não ando à procura de grandes coisas, nem de coisas maravilhosas demais para mim. Pelo contrário, fiz calar e sossegar a minha alma; como a criança desmamada se aquieta nos braços de sua mãe, como essa criança é a minha alma para comigo. Espera, ó Israel, no SENHOR, desde agora e para sempre.(Sl 131)

Visitantes

Posts

sexta-feira, 16 de abril de 2010

A salvação do Pe. Fábio

"... minha salvação não depende do que as pessoas pensam de mim, mas sim, do que Deus sabe a meu respeito". (Pe. Fábio, religioso católico romano). [paráfrase]




(Este post contém a análise do texto acima)

"Porque a sabedoria deste mundo é loucura diante de Deus; pois está escrito: Ele apanha os sábios na sua própria astúcia." (I Coríntios 3: 19)

Tornou-se um padrão religioso nestes últimos dias a criação de líderes. Todo arranjo que deseja reconhecimento precisa entronizar um desses. A rigor, esses não chegam a tal status pelo conhecimento de Deus, pela vida pessoal ou por qualquer atributo espiritual.  Os critérios ou atributos que os leva a aclamação estão dissociados do ideal cristão. Pelo contrário, muitos são blasfemos, ímpios, mercadores de fé, adúlteros, efeminados. E, em regra, a multidão de seguidores não possue percepção alguma do que realmente é cristianismo. Isto ao longo da história cristã tem oferecido o combustível essencial para criação e crescimento das seitas. Em pauta o catolicismo romano.


O papismo com sua inextirpável história, seus pares políticos e sua teologia é a materialização das obras das trevas. E de forma espetacular, durante séculos, expropriou o cristianismo. Apresentando em seu currículo de abominações as adições ao Canon Judaico – judaico, mesmo; corrupção de reis; associação ao nazismo; matança e permissão para matar; condenação sem julgamentos; prática de crimes sexuais e pródigios na mentira. 
É uma folha vasta de dolo, crueldade e conduta obscura em nome de deus - deste século.

Portanto, um texto vindo de lá jamais contribuiria para o engrandecimento do nosso Deus, o Deus das Escrituras. Desprovido de verdades divinas, deveria ser deixado de lado, mas merece nossa atenção. Não pela autoria – definitivamente os papistas nada sabem das Escrituras, e sim, pelo dano causado a quem poderá fugir das sendas da insensibilidade para com Cristo. Por isto, abordo este sumário soteriológico do absurdo, intentado pelo sacerdote, por amor aos que estão em trevas.

Aos que o lerem, ira ou curiosidade.  Oro ao Senhor para que seu Santo Espírito desperte a curiosidade necessária e que a ira seja contida. 



Sob o texto, "E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz" (II Coríntios 11:14), o autor aparenta sabedoria e amor a Deus. Aos que conhecem a salvação que há em Cristo, nada mais representa que um retoque artificial em argumento pagão. Mas reflete a aflição de um coração que desconhece completamente a Deus. Mesmo assim, mantém o passo firme. Esses líderes sem escrúpulos e sem conhecimento não terão limites, em sua avidez, apresentarão suas heresias destruidoras.  

Ignoro o propósito envolvido, mas é possível perceber, "sua doação" em benefício das pessoas. Oferece-lhes um significado mais profundo para vida daqueles que por ele esperam. No entanto, é apenas a retórica da banalidade – usar o nome de Deus em meio a elementos totalmente humanistas. A pretensão é orientar seus seguidores a caminhar em “sua verdade”, unidos a ele. Não há inocência no sacerdote. Cristo contra ele falou: "Se um cego guia outro, ambos cairão no abismo".
Sua frase completa é uma declaração de mudança de entendimento. Abandonou um pressuposto, por haver descoberto um outro. A totalidade da oferta contida em ambos pressupostos leva a lugar nenhum, mantendo-o junto aos seus seguidores afastados das verdades de Deus. 
É possível, na primeira frase, perceber que durante um período da vida, sua salvação dependia de seu conceito social. Pois, a estabelece relacionada ao conhecimento que as pessoas teriam dele. Como seria oportuno saber como foi construído esse conceito - o conhecimento entre as pessoas levar à salvação. Quais foram sua bases? Textos? Talvez no Caderno de Teologia do Globo Rural. Sem maiores reflexões chega-se a conclusão que sua pressuposição nega a existência de Deus.
Uma salvação sem Deus. A salvação social: do homem, pelo homem e para homem. Retrata bem o teor espírita do padre. A salvação viria da obra de cada um; das virtudes humanas, bondade, abnegação, da esmola e sopão aos pobres, da distribuição de brinquedos natalinos, altruísmo, das lacerações da própria carne, da oferta para igreja etc.

Este discurso é a sutil rejeição das Escrituras, do Deus eterno, de Jesus, do seu sangue, do Santo Espírito. E por este motivo de grande aceitação.
Contra tal heresia, a Palavra de Deus diz:

"Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus." (Efésios 2: 8).
E mais:

"Mas se é por graça, já não é pelas obras; de outra maneira, a graça já não é graça. Se, porém, é pelas obras, já não é mais graça; de outra maneira a obra já não é obra." (Romanos 11: 6)
A salvação pertence ao Senhor, é um presente dado gratuitamente ao pecador. Vem de Sua liberdade. Jamais do conhecimento existente entre as criaturas.

Percebe-se, na segunda frase do padre, que houve um "salto" em sua percepção, quando ele oferece sua nova tese de salvação. Nela tenta um teor mais religioso - cita Deus, contudo, o faz à revelia da revelação do próprio Deus. 
Afirma o critério de juízo a ser utilizado: "o que Deus sabe a meu respeito". O que ele pode afirmar sobre o conhecimento que Deus tem de cada um? Quanta subjetividade há nesse juízo? O que um juízo subjetivo pode trazer, senão aflição e angústia?
Mesmo que a Escritura afirme:  
"Para que sejam julgados todos os que não creram a verdade, antes tiveram prazer na iniqüidade." (II Tessalonicenses 2: 12).
E ainda:

"Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus." (João 3: 18)
Contrário a esta suave mentira, Deus diz que Seu juízo está baseado na verdade revelada. Qual o motivo da mentira? Não seria em busca de projeção pessoal, riqueza, levando milhões de pessoas a distaciarem-se totalmente da Verdade? Esta aparência de sabedoria, não seria  a mensagem de satanás? Diz a Palavra: "Porque é mercenário, e não tem cuidado das ovelhas." (João 10 : 13)

Além do que, sua frase deixa transparecer seu ideal de poder. Ao determinar como Deus deve agir em seus juízos, subjuga a Deus. Retira de Deus a soberania, a santidade moral. Lançando-O no pó da terra, em grilhões dos devaneios mentais do sacerdote romano. Abriu as portas de sua igreja, sentou-O no confessionário e obrigando ao Senhor de toda a terra cumprir a penitência devida. 

Os mantras satânicos do sacerdote flutuam como se angelicais fossem. A Escritura nega a existência deste deus, nega este critério de juízo.
A salvação não é fundamentada no conhecimento que Deus tem de suas criaturas, mas na fé no Salvador. E garante que a salvação vem unicamente por ouvir Sua Palavra.
"Visto como na sabedoria de Deus o mundo não conheceu a Deus pela sua sabedoria, aprouve a Deus salvar os crentes pela loucura da pregação." (I Coríntios 1: 21)
Que Deus seja louvado.

A Ele honra, louvor e glória de eternidade a eternidade

6 comentários:

  1. Considero o texto um fantástico resumo do que é o papismo. Parabéns pela fluência de ideias, pela clareza na hora de expor um dos maiores cânceres da humanidade, patrocinado pela besta e pelo seu falso profeta, o papa.

    ResponderExcluir
  2. Que Deus seja engrandecido.

    Em Cristo.

    Pena não poder agradecê-lo em seu perfil.

    ResponderExcluir
  3. Pena que hoje em dia não se prega isso. Não se fala dessas coisas. Ninguém chega ao católico ou espírita e diz que satanas tem um trono em Roma porque muitos dos tais financiam obras evangélicas.

    Mais Deus ainda conta com remanecentes que zelam pela sua Palavra.

    Louvado seja Deus..

    J.C. Brasil, no Messias.

    ResponderExcluir
  4. Estou impressionada!
    Por acaso me deparei com seu blog. Sua forma de escrever me remete ao meu marido, um amante das Escrituras tal qual você o é.
    Gloria a Deus por seu remanescente!

    ResponderExcluir
  5. Regozijo no Senhor pelas suas palavras. Porém, lamento não poder ser grato a um nome.
    Que a senhora e seu esposo permaneçam firmes no Senhor.
    Naquele dia nos encontraremos.

    Que o Senhor seja louvado.

    ResponderExcluir
  6. O catolicismo tem como característica a divinização do homem, desde sua fundação maldita; regada à sangue fraterno, até a consumação do "Século", quando for totalmente destruída, segundo Apocalipse 17.16... Porquanto a "Cidade Eterna" é outra: Jerusalém

    ResponderExcluir

1. Seus comentários e refutações são bem vindos.
2. Por favor, faça-os sempre com base nas Escrituras, caso contrário, são opiniões pessoais, com pouco valor
3. Não modero cometários, seu temor ao Senhor deve sê-lo
As ofensas pessoais podem ser substituídas por refutações, ajudariam a todos que passam por aqui.

Em Cristo.