"SENHOR, não é soberbo o meu coração, nem altivo o meu olhar; não ando à procura de grandes coisas, nem de coisas maravilhosas demais para mim. Pelo contrário, fiz calar e sossegar a minha alma; como a criança desmamada se aquieta nos braços de sua mãe, como essa criança é a minha alma para comigo. Espera, ó Israel, no SENHOR, desde agora e para sempre.(Sl 131)

Visitantes

Posts

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Aos meus irmãos - A perda irreparável


Aos meus irmãos. 

Não é simples tentar externar algumas coisas e sempre nos deparamos com a possibilidade de não o fazer adequadamente. Faltam palavras, fogem as melhores ilustrações e, por vezes, frustramo-nos em solidariedade ao ouvinte.

Tem sido por regra dependermos de nossa experiência pessoal, formação e até desinformação, para concluirmos a respeito de algo. Assim, cada um de constrói seu próprio "conceito" e por ele define sua "solução" para as demais questões. De certa forma usufruímos do benefício da ignorância ou mesmo da dúvida. E altaneiros, comandamos a vida - como se possível fosse. 

Este simplismo abandona a razão e rompe com o inexorável. Acredito que quanto às questões mais simples da vida não há grande comprometimento, grandes perdas... mas na morte é bem diferente, e como é diferente! Sua complexidade vai além de nossos conceitos e conveniências. 


Ela - a morte -  desrespeita a esperança, e em sua crueldade encrava farpas profundas na alma. Não nos permite o simplismo, e para este drama, se o somos, tratamo-la de forma infantil e  insensível. 


Não podemos negar, a realidade se impõe (ou imporá) sobre nossa ignorância, conceito e solução. Não seremos tomados por inocentes nesta trama misteriosa, nem nossas conveniências anularão o que se apresenta frente a nós.

Quem poderá agir? Que poder poderá aniquilá-la, a ponto de sabermo-nos vitoriosos sobre sua pecha? 
Em sua cruz e sangue, condenou a morte em sentença eterna: A morte com seus grilhões já não prendem meu coração, minha mente . 

Seu - do Senhor - poder e benevolência têm chegado a mim todos os dias e, a despeito da dor, tenho esperança. 

Um dia estaremos face a face com Aquele que derramou sobre mim, um vil pecador, sua própria vida. Apenas a esperança vinda dos céus é o verdadeiro bálsamo para amainar tão profunda perda.

beijo a todos.

paulo brasil

2 comentários:

  1. Caríssimos:

    Gostaria de compartilhar o post "A origem das tragédias humanas". Talvez o texto não seja muito agradável para quem está enfrentando dificuldades, mas nada melhor que a verdade das Escrituras para, de alguma forma, nos trazer conforto. Em:

    http://www.filosofiacalvinista.blogspot.com

    ResponderExcluir

1. Seus comentários e refutações são bem vindos.
2. Por favor, faça-os sempre com base nas Escrituras, caso contrário, são opiniões pessoais, com pouco valor
3. Não modero cometários, seu temor ao Senhor deve sê-lo
As ofensas pessoais podem ser substituídas por refutações, ajudariam a todos que passam por aqui.

Em Cristo.