"SENHOR, não é soberbo o meu coração, nem altivo o meu olhar; não ando à procura de grandes coisas, nem de coisas maravilhosas demais para mim. Pelo contrário, fiz calar e sossegar a minha alma; como a criança desmamada se aquieta nos braços de sua mãe, como essa criança é a minha alma para comigo. Espera, ó Israel, no SENHOR, desde agora e para sempre.(Sl 131)

Visitantes

Posts

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Sansão - Soberania e responsabilidade humana II


Mogi das Cruzes
06.09.2011

A narrativa, repentinamente, nos toma de assalto: o primeiro registro da vontade de Sansão vem carregado de pecado, de oposição ao Senhor, Sansão deseja casar-se com uma mulher estrangeira (14.1,2).

De pronto seus pais tentam confrontar-lhe, demover-lhe da ideia de casar-se com aquela mulher: não haveria alguém que pertencesse ao povo de Deus para tal (14.3). Mas, resoluto em sua disposição de satisfazer seus anseios, reage: “só desta me agrado”.

Mesmo estupefatos, estamos frente à primeira manifestação da soberana vontade de Sansão. Essa o afasta da vontade de seus pais e da vontade do próprio Deus.

Esse contexto tem sido utilizado para arrolar o Senhor no pecado de Sansão – atribuir à soberania de Deus a participação no pecado - ou mesmo para reduzir de Sansão a responsabilidade por sua escolha (sua vontade). 


Para que entremos no torneio: (Jz 14.4)
“isto vinha do Senhor”.
E mais:
“Senhor procurava ocasião contra os filisteus” (esses dominavam sobre os israelitas). 

Deus utilizara-se do domínio filisteu para quebrar a cerviz de Israel, mas, ao mesmo tempo, buscava  livrar por meio de homens (Juízes) como Sansão, pois para isto nascera – a soberana vontade de Deus.


Uma pergunta se torna imperiosa:
O que vinha do Senhor, estaria o Senhor associado ao pecado de Sansão?

Não podemos ser meninos no juízo, na malícia, sim!



Busquemos a resposta que seja ajustada ao caráter revelado de Deus. Considerando o texto, podemos inferir duas possibilidades:


    Deus incita Sansão ANTES para que ele venha a gostar da mulher estrangeira. Deus leva Sansão a gostar da mulher estrangeira (a priori), colaborando com a vontade  - e pecado - de Sansão;


    Deus incita Sansão DEPOIS deste ter afirmado sua vontade - “só desta me agrado”.  Assim, Deus o leva a consolidar seus sentimentos (sua vontade) em relação à mulher estrangeira. (a posteriori).


Quanto à primeira possibilidade, ela coloca o Senhor como instrumento de tentação para Sansão, levando-o a se apaixonar pela mulher estrangeira. Mas, temos a palavra de Deus que nega tal possibilidade:
“que Deus não tenta ninguém, que somos tentados por nossa própria concupiscência” (Tg 1.13).

Deus não constrange ninguém a pecar, não participa do mal (moral). Tal hipótese é contra sua natureza santa.
E mais, o Senhor proíbe o relacionamento que Sansão carrega em seu coração. Sobre relacionamento com  estrangeiros o Senhor diz em Dt 7.3-4:
não contrairás com elas matrimônios; não darás tuas filhas a seus filhos, e não tomarás suas filhas para teus filhos; pois fariam teus filhos desviarem-se de mim, para servirem a outros deuses; e a ira do Senhor se acenderia contra vós, e depressa vos consumiria.

A palavra de Deus desautoriza esta possibilidade, e desqualifica toda falácia e sutileza neste sentido. É insustentável a argumentação que Deus levou Sansão a pecar.

Sansão foi enredado por sua rebelde vontade, por suas próprias convicções, pois, atendendo ao seu coração desprezou as instruções do Senhor. 


Sua vontade convenceu sua razão, essa sucumbiu face ao seu enganoso coração. 

A partir desse ponto inicia-se a decadência de Sansão, e logo mais estará face a face com as consequências de sua própria vontade.

Não é cansativo lembrarmos que “Senhor procurava ocasião contra os filisteus”, e que realizaria Sua vontade. 

Há a expectativa que Sansão considerasse seu nascimento, vida e história e... como serviria ao Senhor. 

A vontade pecaminosa apenas é refreada pela disposição em obedecer. A superação deste conflito nos transforma em servos. 
Homens de grande vontade, de grande determinação são pródigos nas sendas da dor e solidão. Não há conquistas espirituais sem caminhar pelas trilhas do quebrantamento da nossa vontade.  


Sansão é insaciável na busca de satisfazer sua vontade, mai e mais desce em direção ao pecado. Seu caráter é marcado por sua vontade soberana, a negligência com as verdades divinas, a desobediência aos pais, disposição para vantagens pessoais e por fim desprezo à vida.

Em sua vida – conforme está escrito – por duas vezes clamou ao Senhor, apenas para satisfação e vingança pessoal.
Mas Deus, por meio dele, livrou durante vinte anos os Israelitas das mãos dos filisteus.

São muitos os mistérios circunscritos no ambiente que envolve a responsabilidade humana e a soberania de Deus, mas entendo que Deus propusera em seu coração coisas muitos maiores para Sansão.

Quanto ao texto de Hebreus cap. 11, apenas evidencia a bondade e misericórdia de Deus em resgatar o nome de um homem que foi caracterizado por colocar sua vontade antes da vontade de Deus. 

4 comentários:

  1. Paulo

    Ainda vou conitnuar a escrever e enviar para publicação no blog Bereianos.

    Confesso estar decepionado com vários blogs que antes considerava cristãos, apologéticos, reformados, mas vejo hoje apenas como mercadores da uma falsa fé.

    Vou continuar acompanhando teu blog. Ainda não sei se vou remover o meu. Mas não pretendo mais publicar nele. Vou levar a frente outros projetos, deste, já estou um tanto saturado.

    Com grande sinceridade sei que escreves.

    No ammor de Nosso Senhor

    Soli Deo Gloria

    ResponderExcluir
  2. Concluíndo... garanto-te que muito pensei, ponderei e orei. Sinceramente, espero não estar me precipitando. Mas confesso estar um tanto enojado.

    Estou seguindo um conselho de alguém que considero mais maduro que eu, Paul Washer (conhece?), pois bem, pretendo antes tornar-me mais maduro, mais longânimo, mais experiente, para compartilhar aquilo que o Senhor me der.

    Pretendo sim voltar a escrever, mas algo menos de mim e mais do Senhor.

    Talvez com menos ilustrações... não quero ser conhecido pelo cara que desenha, como muita gente tem visto. Apesar de isso ter sido, até então, uma porta para abençoar missionários.

    Fique na paz...

    ResponderExcluir
  3. Me convenceu... vou dar mais um tempo... orar um pouco mais... quem sabe andar mais uma milha...

    Soli Deo Gloria

    ResponderExcluir
  4. crei na providencia divina, na soberania de Deus e na responsabilidade humana,mas vejo que muitos tem confundido esta doutrina e culpam Deus pelo pecado do homem colocando a soberania de Deus como pretexto e justificativas para o erro...
    abraço pastor
    excelente texto

    ResponderExcluir

1. Seus comentários e refutações são bem vindos.
2. Por favor, faça-os sempre com base nas Escrituras, caso contrário, são opiniões pessoais, com pouco valor
3. Não modero cometários, seu temor ao Senhor deve sê-lo
As ofensas pessoais podem ser substituídas por refutações, ajudariam a todos que passam por aqui.

Em Cristo.