"SENHOR, não é soberbo o meu coração, nem altivo o meu olhar; não ando à procura de grandes coisas, nem de coisas maravilhosas demais para mim. Pelo contrário, fiz calar e sossegar a minha alma; como a criança desmamada se aquieta nos braços de sua mãe, como essa criança é a minha alma para comigo. Espera, ó Israel, no SENHOR, desde agora e para sempre.(Sl 131)

Visitantes

Posts

sábado, 12 de janeiro de 2013

Carta aos Hebreus (Cap. 12) - Introdução



Mogi das Cruzes - jan/13

Para nos incluirmos no contexto da carta aos Hebreus precisamos esclarecer dois pontos:

Para quem e por que foi escrita

Precisamos inicialmente considerar um pequeno aspecto sobre o título da carta, pois é o caminho mais curto para respondermos às nossas inquisições iniciais. 

Os títulos dos cartas bíblicas não fazem parte do texto original e foram adotados ao longo da História, geralmente extraídos de porções de seu conteúdo. É assim quando abrimos e lemos: "a todos os que estais em Roma, amados de Deus, chamados para serdes santos"; identificamos de onde surgiu o termo CARTA AOS ROMANOS; e ainda, "à igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados em Cristo Jesus, chamados para serem santos, com todos os que em todo lugar invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso"; veio a CARTA 1º AOS CORÍNTIOS. 

Mas, para esta carta não temos uma referência semelhante para definição do seu título, assim, seu teor e tema foram determinantes para consagração do termo: CARTA AOS HEBREUS.

Sumariamente, podemos a isso observar, pois o autor, em acentuada clareza, oferece um paralelo contundente entre a prática judaica - a religião dos hebreus - e o cristianismo. A mensagem contraposta pelo escritor deixa evidente que a carta foi escrita para praticantes do judaísmo. Os destinatários da mensagem são hebreus, assim é pertinente estarmos diante de um texto cujo nome é CARTA AOS HEBREUS.  

Mas, por que o autor a escreveu, qual seu interesse, qual sua mensagem?

Novamente o texto não deixa dúvidas quanto ao seu propósito, pois identifica as diferenças fundamentais entre o Cristianismo e o Judaísmo. 

Percebeu o autor que os hebreus - que alegavam ser cristãos - insistiam na manutenção de sua prática religiosa tradicional que preservava o privilégio de castas por meio de suas tradições e em aparatos exteriores.
Era-lhes necessário, se de fato cristãos, abandonarem tais práticas, para tanto, ofereceu-lhes uma nova percepção da verdade e propósito de Deus de Israel para com a comunidade dos Hebreus.

Afirma o autor, que em Jesus Cristo todas as práticas judaicas haviam caducado: o elitismo religioso e egoísta, paramentos, sacrifícios, templo, patriarcas. Tudo fora substituído e aperfeiçoado na pessoa e obra redentora do Salvador.

E essa nova "dimensão" - o Cristianismo - era a única forma de compreender a história, os símbolos, a esperança, os personagens, apenas por meio dela era possível relacionar-se verdadeiramente com o Senhor dos Exércitos.

Portanto, a Carta aos Hebreus é dirigida ao povo hebreu esclarecendo-lhes que o Cristianismo era o aperfeiçoamento e completude daquilo que eles (hebreus) haviam recebido do Senhor, e que àquela época  conheciam e praticavam nada mais eram que apropriação humana dos desígnios do Senhor.

Muito adequado para nossa época, em que muitos, por conta própria, em completa desobediência ao Senhor, na busca de serem notados pelos homens, retornam aos “sinais, aparências e ordenanças”... assim, abandonando o Senhor de toda graça criam mandamentos humanos para enredar e ensoberbecer corações.

Desse texto poderemos compreender o que fazer para manter a fidelidade e a esperança no Senhor.

A Ele, pois, honra, louvor e glória eternamente. 

4 comentários:

  1. Muitos teólogos, e alguns dos mais famosos, dizem que não foi Paulo o autor da carta aos hebreus. Jactância à parte. Mas certeza total, podemos afirmar que esta carta, foi escrita pelo (suprassumo) dos imitadores de Cristo, o Apóstolo Paulo.

    ResponderExcluir
  2. Creio que a deturpação do ensino bíblico; das Escrituras, está diretamente mancomunada com Satanás. Obviamente haverão cooperadores afins, ditos ou reconhecidos como inocentes; por serem ignorantes etc... Diríamos! Nós "poderíamos", até concordar. Mas só se for para livrar nossas "caudas" também. Mas não "dá". Seja como for o Diabo está no "pedaço"... Principalmente através da mesma ignorância que foi aplicada.

    ResponderExcluir
  3. Nós, antes de temer ao "senhor", deveríamos temer a Verdade. Porquanto há muitos "senhores". Mas a VERDADE apenas uma: O SENHOR JESUS ENCARNADO.

    ResponderExcluir
  4. Bom ler e ver o irmão de volta.
    Bendito seja o Senhor.
    Aproveito pata cobrar textos pata o Oráculo.
    Em Cristo

    ResponderExcluir

1. Seus comentários e refutações são bem vindos.
2. Por favor, faça-os sempre com base nas Escrituras, caso contrário, são opiniões pessoais, com pouco valor
3. Não modero cometários, seu temor ao Senhor deve sê-lo
As ofensas pessoais podem ser substituídas por refutações, ajudariam a todos que passam por aqui.

Em Cristo.