"SENHOR, não é soberbo o meu coração, nem altivo o meu olhar; não ando à procura de grandes coisas, nem de coisas maravilhosas demais para mim. Pelo contrário, fiz calar e sossegar a minha alma; como a criança desmamada se aquieta nos braços de sua mãe, como essa criança é a minha alma para comigo. Espera, ó Israel, no SENHOR, desde agora e para sempre.(Sl 131)

Visitantes

Posts

sábado, 6 de agosto de 2016

Abraão era amilenista


Ao ouvir que estamos em pleno milênio somos forçados a enfrentar algumas questões a respeito do plano de Deus para a humanidade, sei que não é simples enfrentar ou questionar pressupostos doutrinários.

Quando o assunto é Escatologia, deve-se considerar que há muita dificuldade espreitando-nos. Contudo, mesmo escondidos, existem os esquisitos junto ao burburinho acadêmico. E entre esses, sem dúvidas, está o método aplicado para obtenção da verdade divina - a Hermenêutica.

E parece que foi criada UM especialmente para garantir os pressupostos amilenistas.

Tal método funciona da seguinte forma: Tomemos o texto “Não ficará pedra sobre pedra”.

Em busca do significado da passagem, e de acordo com o uso da hermenêutica amilenista, deve-se saber se tal afirmação – profecia -  já aconteceu (cumpriu-se na história) ou não. Caso tenha ocorrido, a leitura do texto deve ser feita de forma literal. E somente se não fizer sentido, deve-se buscar dentro das Escrituras seu “outro” significado, portanto, pedra significaria pedra mesmo. 

Porém, se o texto ainda não foi cumprido, a abordagem muda completamente, ou seja, o significado das palavras não pode ser literal. Pelo contrário, pode ser qualquer coisa, menos o significado literal do texto. Ou seja, pedra jamais poderia ser pedra. Estranho, esquisito, mas é o que está posto.

É o caso do termo milênio (Ap. 20,2,3,4,5,6,7). Não pode ser milênio (1.000 anos literalmente). Por que? Porque ainda não se cumpriu na história - ou está se cumprindo? 

É incrível, mas é isso o que garante a escatologia amilenista. Dizem: "é preciso tratar os textos escatológicos de maneira particular – mas, isso se aplica apenas aos textos que ainda não se cumpriram".

Isso nos - obriga - arremete a uma experiência muito rica: Pensemos com Abrão – como se lá estivéssemos.

Ao olhar para o céu cheio de estrelas, ouve: Tua descendência será como estas estrelas. (Gn 15.4-5). 

Sendo Abraão um bom amilenista, podemos imaginar, quanta aflição o acometeu até se cumprir o nascimento de seu filho Isaque. Porque ele, como bom amilenista, SABIA que descendente da promessa, não poderia ser um descendente (literal) – pois, ainda não havia se cumprida a profecia. E como não poderia ser um filho, o que seria comparado às estrelas do céu? O que Abrão pensou significar descendente na promessa de Deus? E já que não havia nascido seu filho, sua hermenêutica amilenista garantia-lhe que poderia ser qualquer coisa, menos um filho.

Porém, após o nascimento de seu filho, ele, como bom amilenista, PERCEBEU que, após a profecia haver sido cumprida, descendência era descendência mesmo, e que seria numerosa como as estrelas do céu. Apesar de tudo AGORA fazer sentido, um misto de Ffustração e alegria lhe tomou, claro. Frustração, pois seu método lhe levara ao erro quanto ao significado da profecia; e alegria por entender que descendência significava LITERALMENTE descendência. 

Assim, somente após o cumprimento da profecia, Abrão, como bom amilenista, viu que estava errado! Que não deveria ter "interpretado" a palavra do Senhor, bastava-lhe haver aceito as palavras em seu significado comum - literal, como em todas as outras vezes que ouviu o Senhor.

Da mesma forma o método amilenista afirma estarmos no milênio e com satanás em prisão – eufemizam, e dizem "com poderes limitados". (Prisão significar poderes limitados??!!). De onde saiu isto?

Se verdade - satanás está preso - parte das Escrituras precisa ser "revista" para tenha sentido. Senão, vejamos:

Quanto engano há em Pedro ao afirmar que satanás enchera o coração de Ananias (At 5.3);

Engano, maior ainda, em At 26.18, Jesus afirma que satanás tem autoridade para manter pessoas cativas  - mesmo preso? E nisso, errou também Paulo (2 Tm 2.26);

E Paulo, novamente e equivocadamente, em 1 Co 7.5, instrui casais para não serem tentado por satanás (que está preso!).

Em 2 Co 11.14, inutilmente, Paulo afirma que satanás se transforma em anjo de luz. Claro que inutilmente, já que está preso, nenhum efeito isso terá.  

Sem contar com as advertências contra o diabo (Ef 4.27) e a necessidade da armadura de Deus para se prevenir contra ele (Ef 6.11). Acredito que se a abordagem amilenista estiver correta, tais exortações são meramente retóricas. 

E, por fim, em 1 Ts 2.18, Paulo precisa nos explicar que caminho tomava para ir até Tessalônica, pois satanás - que está preso - o impediu.

Mas, Abrão pode nos ensinar muito mais. Após o pedido para imolar seu filho - ainda não cumprido - ele ABANDONOU sua “interpretação particular” daquilo que Deus lhe falava. Como sei? Ao empunhar um cutelo (literalmente) sobre seu filho, ele nos ensina que cumprida ou não a palavra do Senhor deve ser vista em sua literalidade. 

3 comentários:

  1. Li parte do conteúdo em geral, mas sem maiores cuidados, uma frase, contudo me chamou a atenção: De Satanás estar preso. Segundo as escrituras, Satanás ficará preso no começo do Reino Milenar de Jesus em Jerusalém. Quando os mil anos terminar, será solto outra vez, por curto espaço de Tempo. E mais, pessoalmente não confio na Teologia como algo que devesse confiar. Nem nela, nem nas filosofias, nem mesmo nos pressupostos acadêmicos. Afinal, a Evolução, o Big Bang nunca passaram de pressupostos. Mas creio, ardentemente na Palavra de Deus, como Ciência ou Conhecimento Maior. A Física Quântica, bem demonstra que a Física Tradicionalista não passa de mera aplicação face os efeitos em si. Quanto as Escrituras, estas estão mais para serem entendidas através do Espírito. Paradoxalmente o que mais assistimos são teólogos cheios de vento assoprando contra Àquele em todo lugar. Felizmente, nem todos, obviamente. Está é a nossa opinião, e da qual não arredaremos jamais nossos pés. Por que preferimos errar com estes, do que com os pés da presunção acadêmica imposta. E se errarmos, que o Espírito nos assopre mais forte para nos derrubar a Seus Pés.

    ResponderExcluir
  2. Irmão Paulo, o que postei acima não se refere ao conteúdo postado pelo irmão, como expliquei não li todo o conteúdo, acho que nem condição para lê-lo na íntegra eu tenha; pelo menos, não nas condições atuais das provações (da alma, do espírito, até do corpo que me encontro) Mas, se Deus permitir, irei lê-lo, na íntegra. Enfim, tenho certeza que a teologia aplicada pelo irmão é levada muito a sério, é profunda, bíblica; escriturística.E não serei eu que poderei criticá-la. Apenas atentei numa frase solta, seja: do Diabo estar preso. Neste caso, eu certamente discordaria; até mesmo do irmão. A não ser que o irmão me convença "através das Escrituras". Parabéns, tenha certeza que aprecio sua Teologia em demasia. Perdoe por não ter mais habilidade para aprecia-la. Mas quem sabe chego lá? E não imagine que estou usando de falsa modéstia. NÃO MESMO! É reconhecimento de fato da minha pequinês diante dum conhecedor teórico e prático das Escrituras bem melhor do que nós (eu). Deus te abençoe e família.

    ResponderExcluir
  3. Amado Irmão (letra maiúscula, mesmo).

    É sempre um prazer saber que o Amado leu qualquer texto meu.
    O texto em voga, sobre Abraão ser amilenista é uma tentativa de copiar o estilo de Elias.

    Conforme se lê a seguir:
    1Rs 18:27 E sucedeu que ao meio-dia Elias zombava deles e dizia: Clamai em altas vozes, porque ele [é um] deus; [pode ser] que esteja falando, ou que tenha [alguma] coisa que fazer, ou que intente [alguma] viagem; talvez esteja dormindo, e despertará.

    E, por meio de ironia, confrontar a ideia de que estamos no milênio, como afirmam os amilenistas.

    Afirmando que satanás está preso; que estamos na grande tribulação etc.

    O que na realidade está em completo desacordo com as Sagradas Letras.

    Um grande abraço, e tirarei no fim de semana um tempo para orar pela saúde do Irmão.

    Deus, o Senhor, o guarde.

    ResponderExcluir

1. Seus comentários e refutações são bem vindos.
2. Por favor, faça-os sempre com base nas Escrituras, caso contrário, são opiniões pessoais, com pouco valor
3. Não modero cometários, seu temor ao Senhor deve sê-lo
As ofensas pessoais podem ser substituídas por refutações, ajudariam a todos que passam por aqui.

Em Cristo.