"SENHOR, não é soberbo o meu coração, nem altivo o meu olhar; não ando à procura de grandes coisas, nem de coisas maravilhosas demais para mim. Pelo contrário, fiz calar e sossegar a minha alma; como a criança desmamada se aquieta nos braços de sua mãe, como essa criança é a minha alma para comigo. Espera, ó Israel, no SENHOR, desde agora e para sempre.(Sl 131)

Visitantes

Posts

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

As Bênçãos de Efésios 1.3


Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo; (Ef 1:3)

O verso 3 inicia um discurso que se encerra no v. 14.

O uso dos verbos no tempo passado garante que o tema central desse discurso é passado, algo já consumado. E, sem dúvida, o Senhor nos fala de Sua salvação em Cristo (vv. 6,7).   

A proposta deste texto é entender o significado do termo “bênçãos espirituais” descrito no verso 3.

Inicialmente, devemos ver o v. 3 em conjunto com os versos subsequentes. E por uma questão de método, interessa-nos os termos presentes nos versos 3, 4 e 5 que iniciam e estabelecem uma unidade de pensamento. Ou seja, ambos versículos são partes integrantes do tema central, a salvação no Senhor.  

Dois aspectos ressaltam para tratarmos os versos conjuntamente.

1.  O tempo verbal.
Os vv. Utilizam o tempo verbal no passado, o que nos permite entender que a Bênção (v. 3) foi iniciada ou determinada no mesmo tempo e desfrutam da parte de Deus da mesma garantia das verdades contidas nos vv. 4 e 5 - Eleição e Predestinação;

2. O uso do termo “como também”.
Estabelece um elo inseparável entre os vv. Que dá ao v. 3 a mesma textura e ideia presente nos vv. 4 e 5. Assim, a garantia de Eleição, antecedida pela Predestinação dos vv. 4 e 5 se aplica também às Bênçãos do v. 3.

Quanto à sua relação com outras Doutrinas.
Podemos concluir que as Bênçãos Espirituais (v. 3), tanto quanto a Predestinação e a Eleição são partes integrantes e coexistentes da Salvação.

Quanto ao seu significado e propósito.
Bênção significa "falar ou desejar bem a alguém". Que tanto pode ocorrer entre homens, como entre Deus e os homens. Neste caso, devemos considerar apenas as bênçãos de Deus dirigidas aos crentes. 

Como visto anteriormente, as Bênçãos fazem parte de nossa salvação e tem um propósito definido (vv. 11, 12): nos ter feito – "tempo passado" novamente - herança em Cristo e, isso para o louvor da glória de Deus.

As bênçãos são as mesmo tempo o bem querer de Deus em nos fazer semelhantes a Cristo, bem como nos capacitar a sê-lo - realizando Sua vontade.

Uma questão prática

As Bênçãos Espirituais (veja v. 13), assim como as demais ações de Deus em nossas vidas, evidenciam-se externamente, portanto, são perceptíveis. A fé que expressamos por meio do amor é a evidência visível das Bênçãos Espirituais em nossas vidas, sendo, por sua vez, o resultado da ação, presença e relacionamento do Espírito do Senhor conosco - Garantia das Bênçãos de acordo com vv. 13, 14. 

Portanto, contraria o ensino das Escrituras afirmar as Bênçãos do Senhor e negar a Eleição ou a Predestinação; da mesma forma afirmar estas, negando aquela. 

Dentro das Bênçãos Espirituais estão discernimento, sabedoria para que possamos evidenciá-las. 

E é isso o que Deus deseja que façamos:

Para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos dê em seu conhecimento o espírito de sabedoria e de revelação; (Ef 1:17)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

1. Seus comentários e refutações são bem vindos.
2. Por favor, faça-os sempre com base nas Escrituras, caso contrário, são opiniões pessoais, com pouco valor
3. Não modero cometários, seu temor ao Senhor deve sê-lo
As ofensas pessoais podem ser substituídas por refutações, ajudariam a todos que passam por aqui.

Em Cristo.