"SENHOR, não é soberbo o meu coração, nem altivo o meu olhar; não ando à procura de grandes coisas, nem de coisas maravilhosas demais para mim. Pelo contrário, fiz calar e sossegar a minha alma; como a criança desmamada se aquieta nos braços de sua mãe, como essa criança é a minha alma para comigo. Espera, ó Israel, no SENHOR, desde agora e para sempre.(Sl 131)

Visitantes

Posts

sábado, 17 de setembro de 2016

SABE, porém, isto... (2 Tm 3:1-5)


SABE, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, Sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, Traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, Tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te. 2 Tm 3:1-5

Os termos no texto devem chamar nossa atenção. Notemos: “Nos últimos dias", "Homens amantes de si mesmos", "Soberbos", "Desobedientes aos pais", "Incontinentes", "Mais amigos dos deleites que de Deus”. 



Não podemos negligenciar as instruções do Senhor, pois é a partir deles que perceberemos o cenário assustador que estamos inseridos. São as coisas que hão de vir - e que já estão. São características humanas que moldam o cenário descrito pelas Escrituras.  

Essa nova ordem alimenta-se da ruptura com o passado, organiza-se coletivamente, mas expressa o coração das pessoas. 

Nele os homens por amarem mais a si mesmos romperam com valores baseados no amor – família, amigos etc.

Pela soberba, colocam-se como prioridade e pouco caso fazem de seus pares ou compromissos, romperam com solidariedade.

Romperam com os pais, por esses representarem a autoridade e o passado, mas estão ávidos por uma autoridade - nova e externa - que lhes seja moderna e lhes garanta o rompimento com as estruturas estabelecidas.

Não há afeição natural, assegura o Senhor, romperam com os limites da natureza humana.

Diz ainda, que romperam com as pessoas de bem. Sim, romperam com Deus - a moral, a ética, a história... toda a verdade de Deus.

Um aspecto que agrava ainda mais esse cenário: a associação do termo, "mais amigos dos deleites do que amigos de Deus", com o termo, "tendo aparência de piedade entretanto negando a eficácia dela - da fé".  

Não se poderia achar em apenas duas frases a descrição mais completa e perfeita do cenário em que se encontra a Igreja do Senhor. Pessoas sem temor ao Senhor, vestidas de religiosidade, nominam-se servos do Altíssimo. Contudo negam-na, pelo fato dessa fé não lhes permitir arredarem os pés dos deleites - muitas vezes ocultos - não autorizados pelo Senhor.  

É o coração do homem cooperando e se regalando com o mal. Sua satisfação e busca do prazer, a paixão por si mesmos pela rejeição da Verdade. 

Os emissários de satanás - oportunistas do mal - dirão que sempre foi assim, que o Cristianismo é alarmista e retrógrado, sempre à procura dos indícios do “fim do mundo”.

Os inimigos da cruz, que conosco convivem, já trazem esse perfil, e alimentam o coração de seus filhos para que assim vivam, tentarão dissimuladamente introduzir e incentivar tais condutas na Igreja do Senhor.

É bom atentarmos para a Palavra do Senhor, anteciparmo-nos ao discurso do mal, percebermos suas nuances, pois nele está o fundamento desse cenário. 

"Sabe, porém isto" diz o Apóstolo  reforça-nos a ideia de prontidão para alertar a Igreja a respeito do contexto que vivemos – a maldade do coração do homem construindo o mundo até que... "manifeste o homem do pecado, o filho do perdição”.

Alertemos a todos e afastemo-nos destes.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

1. Seus comentários e refutações são bem vindos.
2. Por favor, faça-os sempre com base nas Escrituras, caso contrário, são opiniões pessoais, com pouco valor
3. Não modero cometários, seu temor ao Senhor deve sê-lo
As ofensas pessoais podem ser substituídas por refutações, ajudariam a todos que passam por aqui.

Em Cristo.